quinta-feira, 31 de agosto de 2017

“Há uma hora”, “à uma hora”, “a uma hora”– com H, Com Acento ou Sem? | infoEnem




Expressões que têm a mesma pronúncia e grafias diferentes são, para muitas pessoas, uma pedra no sapato. Esse é o caso daquelas que empregam o verbo haver em sua construção. E o próprio verbo haver, tendo também vários empregos, traz dificuldades na hora de ser empregado.
Vamos iniciar por ele então. O haver precisa de atenção, pois é um dos casos especiais de concordância verbal. Ele não apresentará sujeito (atuará como impessoal) e será sempre empregado na 3ª pessoa do singular quando:
  • Indicar existência ou ocorrência;
  • Indicar tempo passado.
Com o primeiro sentido, foi empregado por Guimarães Rosa, no poema “Sono das águas”:
Há uma hora certa, 
no meio da noite, uma hora morta, 
em que a água dorme. Todas as águas dormem: 
no rio, na lagoa, 
no açude, no brejão, nos olhos d’água, 
nos grotões fundos. (…) ( In Magma, 1936)
Ali, o escritor afirma a existência de um determinado momento, aquele em que a água cessa seu movimento: existe uma hora, um momento, em que isso ocorre.
Com o segundo sentido, foi empregado por Raul Seixas em:
Eu nasci há dez mil anos atrás (…)
(lembrando que ele criou um pleonasmo ao reforçar a ideia de passado usando o advérbio ‘atrás’)
Na música “Fim de semana no parque”, o grupo Racionais MC’s também emprega a expressão ‘a uma hora’, desta vez sem o H:
(…) Não pega nada
Estou a uma hora da minha quebrada
Logo mais, quero ver todos em paz(…)
(in https://www.vagalume.com.br/racionais-mcs/fim-de-semana-no-parque.html)
Nesse caso a distância a ser percorrida foi medida em tempo, é uma projeção de tempo futuro: o momento da chegada ‘à quebrada’ será nos próximos sessenta minutos.
Mas se a intenção é determinar um horário, preciso, verificável no relógio (1h ou 13h), empregaremos a expressão sem o H e com o acento indicador de crase:
O almoço será servido à uma hora (= às 13 horas).
E para finalizar, novamente voltamos ao texto de Guimarães Rosa, com outro uso do verbo haver, desta vez como verbo auxiliar, na locução verbal indicadora de futuro (neste caso, conjugado concordando com o sujeito “muitos”):
(…)Muitos hão de estar vigiando, 
e chorando, a noite toda, 
porque a água dos olhos 
nunca tem sono…(…)
Até a próxima semana!


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!
ESTUDE COM OS MELHORES MATERIAIS PARA O ENEM:
Baixe gratuitamente o e-Book: Manual do Sisu Manual do Prouni













Visualizações de páginas da semana passada

Arquivo do blog

Seguir-me através de Email

Seguidores

Total de visualizações de página